Conheça os graus de varizes e quando podem ficar ainda mais graves

  • A Doença Venosa Crônica é um problema que gera uma série de sintomas em intensidades e gravidades diversas. Conhecê-los é de extrema importância para evitar que a situação se agrave e complicações apareçam, tornando o tratamento mais difícil e gerando riscos para a saúde dos pacientes, como a trombose venosa. Por isso, neste artigo, explicaremos os graus de varizes.

As varizes são uma manifestação clínica desse problema. Elas se caracterizam pela intensificação da aparência das veias na região das pernas. Os sintomas são dores, inchaços, sensação de peso e, até mesmo, queimação na área afetada. Esse problema acontece devido ao aumento do calibre (espessura) das veias, o que gera uma dificuldade na circulação do sangue.
Dito isso, chegou o momento de você descobrir mais sobre os graus de varizes. A seguir, saiba quais são as características de cada um deles e as possíveis consequências de negligenciar seu tratamento. Boa leitura!

Quais são os graus de varizes?

Para começar a esclarecer esse assunto, mostraremos os principais graus de varizes. Vamos lá?

Grau 1

No primeiro grau de varizes, temos o que chamamos de telangiectasias (vasinhos) e veias reticulares (pequenas veias visíveis com calibre menor que 3 mm). Os sintomas podem ocorrer nesta fase, embora mais raros, e são : sensação de cansaço ou de peso nas pernas e sensação de coceira.

Grau 2

No grau 2, começamos a observar a presença de varizes, veias dilatadas e tortuosas que fazem saliência na pele (como pequenas bolinhas azuis) cujo calibre ultrapassa 4 mm. Os sintomas descritos no grau 1 podem ser mais acentuados.

Grau 3

No grau 3, além das telangiectasias e varizes a perna é inchada. Os sintomas começam a se tornar limitantes, isto é, a pessoa precisa interromper suas atividades para obter alívio.

Grau 4

No quarto grau, além de vasinhos, varizes e inchaço (ou edema) surgem manchas geralmente de cor castanha e a pele fica endurecida, perde sua elasticidade, os sintomas se agravam mais. 

Grau 5

No grau 5, além de todas manifestações acima descritas há cicatriz indicativa de que já houve uma ferida na perna( úlceras)

Grau 6

O último grau de varizes o mais grave, quando há ferida aberta, que demora para cicatrizar e que, na maioria das vezes se localiza na face interna do tornozelo.

Quais são as consequências de não tratar as varizes?

O intervalo de tempo em que um paciente passará do primeiro grau de varizes para o último, em média, varia entre 16 a 20 anos. Ou seja, é um bom pedaço da nossa vida para passarmos infelizes com a nossa perna!
Por isso, a realização de tratamentos — como a escleroterapia com espuma — é recomendada já nos primeiros estágios das varizes. Além de evitar complicações sérias, permite que o paciente tenha uma vida completamente normal e livre de dores.
Buscar uma avaliação com um médico de varizes é imprescindível para um tratamento realmente eficaz desse quadro. Agir rápido — ou seja, desde os graus de varizes iniciais — é uma ótima maneira de garantir que a situação não se agrave e que você possa viver com muita qualidade de vida.
Para saber se o seu quadro requer um tratamento, que tal fazer o teste de varizes da Spaço Vascular? Com ele, você conseguirá um bom direcionamento sobre o assunto. Leve o resultado para o seu médico e discuta o tema com ele em sua próxima consulta.

Assine nossa newsletter!

Quer ficar por dentro das melhores dicas e conteúdos do blog?

Rolar para cima