Como acontecem as varizes em idosos?

Veias sobressaltadas e vasinhos aparentes são comuns na vida adulta, mas por que será que varizes em idosos é um motivo de preocupação?
Acometem 70% das pessoas com mais de 70 anos.  O sangramento espontâneo das varizes, principalmente durante o sono, merece nossa total atenção e cuidados.
Entenda, portanto, qual a relação desse problema com a idade, quais são as complicações mais comuns e como devemos nos cuidar. Confira!

O que são varizes?

Varizes são veias que, com o passar dos anos, tornam-se dilatadas e tortuosas, perdendo a funcionalidade. A circulação venosa é responsável por levar o sangue do corpo de volta ao coração.
Nos membros inferiores, esse trabalho é mais árduo, pois é preciso bombear o sangue para cima, contra a gravidade. Para isso, as veias têm em seu interior válvulas unidirecionais, que atuam como comportas, impedindo que o sangue reflua. Com o aumento do calibre venoso, as pontas das válvulas não se encostam, deixando o sangue retornar.
O acúmulo de sangue nas pernas e tornozelos provoca a sobrecarga dos capilares sanguíneos, causando inchaço, sensação de peso e cansaço, edema, ardência e dor. Além disso, as veias calibrosas ressaltam sob a pele, ficando com um aspecto ruim.

Por que varizes em idosos são mais frequentes?

As varizes não são apenas uma questão estética, mas um problema de saúde, resultado da Doença Venosa Crônica, que afeta cerca de 38% da população brasileira. Essa condição é em virtude de uma série de fatores, tais como:

  • herança genética (histórico familiar);
  • gênero (mulheres são mais afetadas em qualquer idade.);
  • idade (quanto mais idoso, maior a prevalência);
  • gestação (em função das alterações hormonais, há o inchaço das paredes das veias) ;
  • fatores ocupacionais (profissões que exigem muitas horas em pé ou sentado);
  • comportamentais (sedentarismo, obesidade)

São frequentes em pessoas mais velhas porque, com o passar do tempo, aquele futebol com os amigos vai ficando de lado, tendemos a nos exercitar menos e comer mais o que aumenta o inchaço no corpo e também nas veias. Outras doenças também batem à nossa porta, e uma coisa vai se somando à outra , causando a sobrecarga das veias e seu adoecimento.
Além das válvulas citadas acima, outros dois mecanismos ajudam no retorno venoso — as bombas plantar e da panturrilha. O pisar no chão e a contração da batata da perna, ambos acionados pelo ato de andar, impulsionam o sangue para cima. Assim, a perda da elasticidade da pele e de massa muscular que ocorrem com o envelhecimento também agravam o problema.
Quais são as possíveis complicações nessa idade?
Sangramento
À medida que o tempo passa a pele vai ficando mais frágil e ao menor trauma, como coçar a perna, pode sangrar. Este sangramento pode ser intenso gerando risco até de morte se não houver socorro. Uma preocupação é o sangramento durante o sono.

Insuficiência Venosa Crônica

As varizes são um dos sinais de uma doença mais complexa, a Insuficiência Venosa Cronica. Em estágio mais avançado do problema leva ao agravamento dos sintomas, como dor, formigamento, coceira, câimbras, fadiga, edema e inchaço. Como uma condição crônica e evolutiva, de 3% a 11% das pessoas chegam a desenvolver alterações irreversíveis na pele, como escurecimento, descamação e ressecamento.

Úlceras venosas

Outra evolução no quadro de Insuficiência Venosa Crônica leva ao aparecimento de feridas abertas, dolorosas e difíceis de curar. As úlceras venosas exigem cuidados específicos e são ainda mais delicadas em pacientes idosos devido à pele fina e à fragilidade capilar.

Tromboflebite e Trombose Venosa Profunda

A presença de varizes favorece ainda a ocorrência da tromboflebite, inflamação na parede das veias, com formação de um trombo em seu interior. O coágulo sanguíneo fecha a passagem do sangue nesta veia, prejudicando ainda mais a circulação. A tromboflebite superficial, como o nome diz acontece nas veias próximas à pele, já a Trombose Venosa ocorre em veias profundas e o risco do coágulo se desprender e ir para no pulmão existe, causando Embolia Pulmonar.

Dermatite ocre

Ocorre quando o sangue acumulado nas veias extravasa,, provocando uma inflamação crônica, manchando a pele da região afetada, em geral a parte inferior das pernas, tornozelos e calcanhares. Em virtude da presença de ferro no sangue, a mancha tem o tom acastanhado, como ferrugem. 

Quais os cuidados adicionais necessários?

Como vimos, as varizes são parte de uma doença crônica e, por isso, seu surgimento não pode ser evitado. Daí a grande importância de adotar cuidados para impedir o agravamento da doença, que ocorre naturalmente com o avanço da idade. 

Mantenha-se ativo

Já mencionamos como a caminhada desempenha papel importante na circulação das pernas, por isso adotar uma atividade física regular é essencial. Além disso, é importante manter o peso e cuidar da alimentação. Quanto mais você conseguir manter sua musculatura, equilíbrio e agilidade, mais independente você será. O exercício físico ajuda de forma espetacular nesta conquista. Lembra-se da panturrilha, nosso segundo coração? Ajude a sua panturrilha a lhe ajudar!

Cuidar da pele

A pele do idoso é naturalmente mais fina e ressecada. Hidratar a pele e fazer massagens que estimulem a drenagem linfática podem aliviar alguns sintomas. Também é importante proteger as regiões mais sensíveis e cuidar dos machucados que possam acontecer.

Fazer um check-up vascular

É essencial visitar um o médico vascular regularmente e realizar um exame clínico vascular detalhado para avaliar a presença de Insuficiência Venosa e mapear o estágio da doença. 

Procurar o melhor tratamento

A partir do diagnóstico, o médico especialista vai indicar o tratamento adequado. Atualmente, a escleroterapia com espuma vem se destacando como opção eficaz e com baixo risco. Trata-se da injeção de uma substância que promove a esclerose do vaso afetado. 
Um procedimento minimamente invasivo, que não requer internação ou anestesia, sendo seguro para qualquer idade. Uma solução para o tratamento de idosos que, muitas vezes, não são elegíveis para operar varizes em função do risco cirúrgico. Além disso, a espuma pode ser aplicada em veias de qualquer calibre, em todos os estágios da doença. 
No entanto, vale ressaltar que qualquer tratamento deve ser executado por um médico especialista e, por isso, é tão importante buscar orientação médica ao aparecer qualquer sintoma. Varizes em idosos são muito frequentes e o acompanhamento e tratamento adequados fazem toda a diferença na evolução do quadro. 
Agora que você já sabe por que elas acontecem e quais são os riscos, sugerimos outra leitura para saber mais sobre a atuação do médico de varizes: o que faz esse especialista?

Assine nossa newsletter!

Quer ficar por dentro das melhores dicas e conteúdos do blog?

Rolar para cima